top of page

Comprar legumes pré-cortados. Sim ou não?

Você vai ao mercado em um sábado pela tarde, louco pra voltar pra casa e poder continuar com a programação do final de semana. Na parte do hortifrúti, vê a sessão de alimentos pré-cortados e pensa: "por que não comprar os legumes já lavados e picados? Vou ganhar muito tempo durante a semana." Você coloca algumas bandejas no carrinho e segue pro próximo setor.


Já aconteceu isso com você? Desde cenouras, cogumelos, tempero verde picado até frutas. Comigo já, principalmente com a moranga que eu pensava "caramba, agora sim não preciso mais descascar, yuhu!"



A questão aqui não será a conveniência (sim, é mais fácil né?!), mas sim a qualidade e o efeito nutricional. Será que é o mesmo entre alimentos inteiros e pré-cortados? Vamos aos dados.


Onde tudo começa


Mas calma, quero ser específica aqui. Vamos começar falando em endotoxinas, que são componentes estruturais de bactérias gram-negativas, como a mais conhecida E.coli. Quando em alta concentração no nosso corpo elas iniciam um processo inflamatório, principalmente nos intestinos, no trato digestivo e urinário.


Na literatura científica, há uma teoria que procurava explicar como uma única refeição de salsicha e ovo poderia prejudicar o funcionamento da artéria poucas horas após o consumo. Talvez porque tal refeição cause inflamação ao induzir uma endotoxemia de baixo grau: endotoxinas na corrente sanguínea poucas horas após o consumo.


Temos, no nosso intestino, uma grande colônia de bactérias. Na verdade, temos mais bactérias pelo nosso corpo que células. E sim, dentre as bactérias, temos também essas gram-negativas, como endotoxinas. Mas além do que já temos, podemos estar colocando ainda mais dessas bactérias que causam inflamação para dentro do nosso corpo e da nossa corrente sanguínea, e isso através dos alimentos.


Certos alimentos têm cargas bacterianas mais altas, como o caso da carne moída. Já ouviu alguém dizendo "eu não compro carne moída porque ela tem mais bactérias que um pedaço inteiro"? E é verdade. Porém, mesmo assim as maiores fontes de endotoxinas são carnes em geral e laticínios. Isso, principalmente, devido a contaminação cruzada com fezes do próprio animal quando o trato digestivo é rompido ou da contaminação do ambiente físico (que pode ser mais comum que se imagina).


E se eu ferver ou fritar bem? Em um estudo, perceberam que há como matar facilmente qualquer bactéria se a carcaça é fervida por tempo suficiente, mas não as endotoxinas. E no momento que as endotoxinas estão no local, a carne pode ser armazenada até mesmo na geladeira, o crescimento bacteriano permanece.


Clau, mas minha alimentação é Plant-Based! Quero saber dos vegetais e legumes!


Ufa, fico muito feliz por você. Então não se preocupe com isso.


Vamos para os legumes pré-cortados.


Em outro estudo conduzido, os níveis mais baixos das endotoxinas foram encontrados em frutas e vegetais frescos, porém em alimentos inteiros.


As bactérias e organismos deteriorantes não conseguem penetrar pelas duras cascas naturais. Porém, quando abrimos os alimentos, essas bactérias conseguem ter acesso ao interior do fruto e em dias começam o processo de deterioração.


Basicamente, quando cortamos os alimentos, rompemos com a camada de proteção natural e diminuímos a resistência deles. Se picarmos uma cenoura e analisarmos, ela não terá níveis detectáveis de bactérias. Todavia, dia após dia e mesmo na geladeira, vemos o crescimento das bactérias. Calma, não tão acelerado como acontece com produtos de origem animal.


Aqui entra um estudo incrível: foram comparadas cebolas recém picadas com cebolas pré-picadas e refrigeradas por alguns dias. Essas pré-picadas foram picadas estando as cebolas em ótimo estado.


Cebolas agem no nosso corpo como potentes anti-inflamatórios, por isso do estudo ser tão incrível, pois o ponto principal é analisar se as cebolas pré-cortadas tem endotoxinas causadoras de inflamação.


O intuito do estudo era ver como as cebolas se comportariam dentro do nosso corpo, então elas foram consumidas por participantes do estudo.


3 horas após o consumo, a cebola fresca causou diminuições significativas em vários marcadores de inflamação (como falei acima, um benefício natural da cebola, assim como de outras frutas e vegetais).

** Os grupos foram medidos antes do consumo de cebolas e depois, para saber quanto de inflamação eles tinham quando iniciaram o estudo e depois do consumo.


Todavia, esse resultado não foi observado no grupo que comeu a mesma quantidade exata de cebolas pré-picadas. Não houve a mesma redução na inflamação como no primeiro grupo, mas também não houve aumento da inflamação.


Ou seja, não é que as cebolas pré-cortadas tenham causado mais inflamação (como em estudos com carne, leite e ovos), os níveis de inflamação permaneceram estáveis.


Conclusão: consumir verduras e legumes pré-cortados em vez de alimentos inteiros está associado a um aumento da exposição de endotoxinas orais. Porém, frutas e verduras tem efeitos anti-inflamatórios tão potentes que as endotoxinas acabam cancelando esse poder, mas não causando mais inflamações no corpo.


Definitivamente, ainda é melhor comer vegetais pré-picados do que não comer vegetais devido a todos os demais nutrientes, mas cortar os seus próprios pode ser mais saudável.


Referências:











Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating
G0083716_edited_edited.jpg
Olá e seja bem-vindo!
Eu sou a Claudia e a nossa missão por aqui é facilitar a sua vida através de receitas deliciosas, fáceis e extremamente nutritivas! 
Além disso, compartilhamos nosso amor pela horta, por comer bem e nosso caminho para uma vida mais completa e feliz.
  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube
Reset PRO - Nossa Plataforma de Ensino completa! 
 
Melhores aulas sobre mentalidade,
espiritualidade, estilo de vida e alimentação Plant-Based para elevar a sua Vida!
Design sem nome.png
Clube Reset - Nossa Comunidade de Cozinha Exclusiva!
My Soulful Kitchen.jpg
Conheça nosso Instagram
@mysoulfulkitchen com conteúdos em Inglês & Alemão!
bottom of page